Bancos apostam no crédito imobiliário

Modalidade é novo alvo das instituições de porte médio para crescer no mercado. Disputa, agora, é para saber quem oferece os juros mais competitivosO financiamento imobiliário é a nova aposta dos bancos de portes pequeno e médio para crescer e engordar o faturamento. Esse tipo de crédito, que no passado era concentrado praticamente nas mãos da Caixa Econômica Federal, está avançando a passos largos nestas instituições financeiras. A maior disputa, a partir de agora, será pelas taxas de juros mais competitivas.

O Bonsucesso entrou nesse mercado em setembro de 2007 e espera financiar 4 mil moradias este ano, num total de R$ 240 milhões. Segundo o diretor de Novos Negócios do banco, Ricardo Toledo, o empréstimo imobiliário é uma das apostas de crescimento do crédito do banco neste ano. O público-alvo vão ser os servidores públicos, civis e militares de Minas Gerais.

Veja as novas linhas de crédito

O Panamericano está testando o mercado de crédito imobiliário com uma modalidade um pouco diferente: o financiamento com garantia em imóvel. É uma linha destinada a quem já tem um bem e quer comprar outro de valor maior.Trata-se do Imóvel Pan.

 

 

Os interessados podem financiar até 70% do valor do imóvel dado em garantia e o montante mínimo do empréstimo é de R$ 30 mil. “O público que esperamos atingir é de profissionais liberais e empresários que tenham dívidas com altas taxas de juros, como as do cheque especial e cartão de crédito. É uma opção também para quem quer juros menores e maiores prazos de pagamento”, afirma Carlos Roberto Vilani, diretor-comercial do banco.

 

O BMG também se prepara para lançar uma linha de crédito imobiliário. “Vamos fazer parceria com um grande banco para oferecer taxa de juros competitiva. Esse tipo de financiamento só funciona se os juros forem baixos”, afirma Márcio Alaor, vice-presidente do BMG. O banco, que tem hoje uma carteira de 4,5 milhões de clientes, fez pesquisa para saber a demanda da linha. “O interesse é grande. Esse tipo de crédito vai ser favorecido com o aquecimento da economia do país”, afirma Alaor. O público do BMG serão servidores públicos estaduais, municipais, federais e aposentados do INSS.

O Banco Fibra entrou no segmento em setembro do ano passado, através do TotalCasa, braço de crédito da instituição voltado exclusivamente para o setor imobiliário. O Fibra conta com sete produtos: residencial, comercial, lazer, construção, reforma, terreno e solução.

 

O banco está adotando como canais de distribuição os corretores de imóveis e também os parceiros comerciais, que já trabalham como distribuidores de outros produtos da instituição. Uma das novidades é o financiamento de 100% do segundo imóvel que, incluindo despesas com decoração ou reforma, pode chegar a 110%.

 

Segundo o vice-presidente de Operações de Varejo do Fibra, Marcio Ronconi, o TotalCasa tem como diferenciais taxas competitivas, procedimentos simples, atendimento ágil e o benefício, para todos os produtos, do seguro contra desemprego e perda de renda. “A liberação do crédito será rápida, em cerca de 10 dias úteis, pois a emissão dos documentos está prevista pela internet”, afirma.A chegada de novos bancos ao mercado imobiliário é vista com bons olhos pelo setor. “Temos um volume grande ainda a atingir. Se analisarmos os números de crédito para imóveis no Brasil, ainda há muito espaço para crescer”, afirma André de Sousa Lima Campos, diretor de Programas Habitacionais do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon-MG).

Fonte: Portal Uai

 

Deixe uma resposta